Atuação em todo Brasil

Consumidor fica mais vulnerável a golpes com o mito de que LGPD só vale para grandes empresas

Você sabia que até MEI deve atuar conforme a LGPD? A maioria das empresas não cumprem a lei, o que favorece o uso criminoso de dados pessoais, e a minoria adequada age pela preocupação com a reputação.

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) tem a função de garantir a proteção dos dados e da privacidade dos brasileiros, por meio de regras obrigatórias para as empresas na utilização de informações de clientes, funcionários e parceiros, como nome, CPF, RG, endereço, número de telefone celular e dados bancários, entre outros. Mas, a desinformação gera o cenário ideal para criminosos aplicarem golpes, apropriando-se indevidamente desses dados. Por exemplo, muitos consumidores e empreendedores ainda acreditam no mito de que apenas as grandes empresas precisam se adequar à LGPD. Outro alerta é a baixa adesão, pois apenas 16% das empresas do País estão em conformidade com essa lei, segundo pesquisa divulgada pelo portal LGPD Brasil.

“Todo empreendedor que utiliza dados pessoais de clientes, colaboradores ou parceiros na atividade econômica que exerce precisa estar adequado à LGPD, independente do porte e do volume de dados que usa. Isso abrange empresas grandes, médias, pequenas, micro e, inclusive, MEI”, afirma a DPO (sigla em inglês que descreve a função de “encarregado de proteção de dados”) da Golden Cloud Technology, Karyna Gaya. Quanto mais negócios aplicarem as normas de segurança da informação, menores em quantidade e gravidade tendem a ser os crimes cometidos com uso indevido de dados pessoais, avalia. 

A especialista descreve as medidas de segurança da informação, entre simples e complexas, que compõem um bom projeto de adequação à LGPD: criação de Política de Segurança da Informação, acompanhada de treinamento dos colaboradores da empresa; assinatura de termos de confidencialidade; controles de acesso aos sistemas; limitação de uso de pendrives; realização de backups; instalação, manutenção e atualização de sistema de firewall, entre outros. Algumas dicas para os consumidores são: evitar fazer cadastros desnecessários, evitar fornecer muitos dados pessoais em um só cadastro e, nas compras online, verificar o símbolo de cadeado que aparece no campo do endereço de sites confiáveis. 

Movidas pela reputação

“Temos observado procura maior por exigência de mercado e por preocupação quanto à reputação da empresa”, conta o CEO da Golden, Jefferson Farias, sobre o aumento da demanda na Golden por soluções de adequação à LGPD, que vem aquecendo desde o segundo semestre do ano passado. A companhia desenvolve e implanta projetos de adequação à LGPD e também atua para empresas como DPO, função que a lei tornou obrigatória em todos os negócios. “Como diferenciais, a Golden realiza o acompanhamento de demandas diárias do cliente, contribuindo efetivamente para uma mudança de cultura organizacional quanto à proteção de dados pessoais”, acrescenta Jefferson.

Multas

Desde fevereiro deste ano, começou a aplicação de multas por infrações à LGPD, que podem chegar a até R$ 50 milhões de reais.

cibersegurança

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram